Categoria: Crise na Saúde do Rio

Faltam médicos e medicamentos nas principais áreas de saúde do Rio

Rio de Janeiro continua em estado caótico de saúde pública em todo o estado, com falta de médicos e medicamentos nas principais áreas de atendimento, como upas e pronto socorros.

Ao todo foram 7 hospitais, coordenadorias regionais e UPAs que foram visitados neste sábado (7) em todas as regiões da capital, pela reportagem da Globo.

A crise na saúde pública do Rio não diferenciava modelos de gestão. A reportagem encontrou falhas em unidades administradas por OSs, por empresas públicas ou com servidores concursados, o que indica falta de qualificação até para profissionais com estudo.

Em alguns hospitais da capital, enfermeiros, médicos, técnicos e auxiliares disseram que a falta de pagamento dos salários de outubro e novembro tornou a situação insustentável.

Estado Caótico

Na Coordenação de Emergência Regional do Centro (CER Centro), os problemas eram com a estrutura do prédio. Havia infiltrações no teto vazando água já na recepção. Apesar de todos os leitos estarem ocupados, apenas metade dos médicos e enfermeiros estava trabalhando. Também faltavam aparelhos para exames e medicamentos.

A Prefeitura do Rio

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio respondeu que todas as unidades estão de portas abertas priorizando os casos mais graves.

Sobre o pagamento de funcionários com salários atrasados, a Prefeitura disse que o caso está na Justiça. E que os sindicatos se comprometeram a manter metade dos trabalhadores nas unidades. Mas a Prefeitura não disse quando vai pagar o que deve a eles.

Site Plano de Saúde

Fonte G1

O Plano de Saúde Faltam médicos e medicamentos nas principais áreas de saúde do Rio apareceu primeiro em Plano de Saúde Bradesco - Plano de Saúde Amil.